Logotipo da U.Porto Universidade do Porto Universidade Digital Gestão de Informação
Página Inicial             Projectos de Instalações de Faculdades             Gestão de Informação            Arquivo Digital

Arquivo Digital - Projectos de Instalações

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Durante os primeiros anos de funcionamento, a Escola de Engenharia manteve-se no edifício da Universidade, até pouco tempo antes ocupado pela Academia Politécnica.
A exiguidade dos espaços para salas de aula, laboratórios e oficinas ficou resolvida com a construção do edifício da Rua dos Bragas, cuja primeira pedra foi lançada no dia 9 de Março de 1927. No início dos anos 50, construíram-se dois pavilhões adjacentes ao edifício principal, solução de recurso para a falta de espaço.
Quando ficou vago o Liceu Feminino de Carolina Michaëlis, a Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais propôs a sua adaptação para alargamento das instalações da FEUP; as obras de adaptação do edifício ficaram concluídas ainda durante o ano lectivo de 1960-61.
Em 1973 surgiu a oportunidade de compra do prédio contíguo à Faculdade, situado entre a Rua dos Bragas e a Praça do Coronel Pacheco, conhecido por “Parque-Auto” ou, mais simplesmente, “Parcauto”, o que iria permitir ampliar ainda mais as instalações.
Entretanto, o edifício do antigo Colégio Almeida Garrett fora adquirido pelo Ministério da Educação e Investigação Científica para a Faculdade de Engenharia, embora em péssimas condições de habitabilidade. Uma vez levada a cabo uma profunda obra de recuperação, a FEUP passara a dispor de mais espaço para se expandir.
Cedo se constatou, porém, que, apesar de a área afecta à Faculdade de Engenharia mais do que ter duplicado, a FEUP só adquiriria a indispensável estabilidade quando fossem projectadas as suas instalações definitivas. Estas haveriam construir-se na Asprela, no Pólo 2 da Universidade, e seriam da autoria do Arquitecto Pedro Ramalho. Com seis áreas departamentais, apresentam uma área de construção de cerca de 78 mil m2, quase o triplo do espaço primitivo no Pólo 1. A mudança de instalações teve lugar durante o mês de Setembro de 2000.
(Texto adaptado de: FERNANDES, Maria Eugénia Matos, Coord. – A Universidade do Porto e a Cidade. Edifícios ao longo da História. Universidade do Porto - Arquivo Central da Reitoria, 2007)